Crítica | 'Os 13 Porquês' 1ª Temporada



Fonte: Série "Os 13 Porquês". 

“Os 13 Porquês” é uma série Original Netflix que tem como diretor Tom McCarthy, ganhador do Oscar por “Spotlight”, além de produção executiva da cantora e atriz Selena Gomez. Acredito que todos já tenham conhecimento, mas é válido mencionar que essa série é baseada no romance de mesmo título do autor Jay Asher, que apesar de ter sido escrito há 10 anos possui temas bastante atuais e de extrema importância, como por exemplo, bullying, violência sexual, utilização excessiva de álcool, substâncias ilícitas, depressão, suicídio, entre outros.

A trama tem como protagonista uma jovem chamada Hannah Backer (Katherine Langford). Entretanto, o modo como a personagem é a apresentada ao expectador é bastante impactante, triste e peculiar. Afinal, Hannah acaba de se suicidar, deixando apenas sete fitas cassetes onde registra as 13 motivações que a fizeram se matar.

Nesse mesmo momento conhecemos Clay (Dylan Minnete), um rapaz que se mostra muito abalado pelo suicídio da colega de classe. Ele acaba recebendo os registros de Hannah, e ao começar a ouvir a primeira fita fica em choque ao saber que segundo a gravação, ele talvez tenha sido um dos porquês, ou seja, pode ter contribuído de forma direta ou indireta para a morte da garota.

Assim como Clay é impossível não se sentir sem chão ao ter que lidar com a ideia de que uma pessoa se sentia tão mal ao ponto de tirar sua própria vida, e tudo isso se intensifica quando ele começa a ouvir e entender as gravações da Hannah. Ela menciona sua vinda e dos pais até aquela cidade, o modo como eles esperavam ter um bom recomeço, mas também a forma como tudo começou a desmoronar. 

Nas demais cenas, vemos o Clay não só entender tudo o que se passou com Hannah, mas também tomar um posicionamento em relação a tudo. E, de certo modo, conferimos também como os demais envolvidos se comportam em relação àquilo. E isso me pareceu uma forte crítica ao modo como todos nós temos formas de agir diferente em relação a um mesmo assunto. Esse ponto também me fez refletir bastante, pois mostrou a relação do ser humano como unidade, e ao mesmo tempo como grupo (mas se aprofundar em tal reflexão seria mais viável em outro post).


Fonte: Netflix.

Os temas abordados na série são fortes, impactantes e até mesmo cruéis, porém necessários.  O modo como a direção e produção decidiu seguir com esse trabalho é bem distinto de outras séries, livros, filmes e demais conteúdos que focam no público jovem. Eles conseguiram trazer personagens reais, ou seja, não tiveram receio em tratar adolescentes como pessoas com qualidades, defeitos e ainda com caráter em construção. Indivíduos que encaram todos os dias inúmeras pressões próprias e da sociedade, além dos julgamentos que os cercam por toda parte. 

Existem alguns pontos positivos e negativos que gostariam de mencionar em relação à série: 

1. Uma das coisas que mais me chamou atenção e agradou foi a fotografia, que possui um tom mais frio em boa parte das cenas, um complemento e tanto na questão de tornar o ambiente mais dramático, assim como a própria história.

2.  A trilha sonora também é impecável e segue um estilo indie/dramático que também é um forte complemento para o rumo drástico e dramático que a história segue desde a primeira cena.

3.  Em relação as atuações, eu gostei de boa parte delas, mas duas em especial me emocionaram e cativaram bastante. Dylan Minnete (Clay) soube interpretar muito bem um garoto claramente em choque, que tenta ao máximo resolver/mudar tudo à sua volta. Outra atuação que me chamou muita atenção foi da já experiente atriz Kate Walsh, que interpretou muito bem a mãe da Hannah. Ao meu ver em nenhum momento sua atuação se tornou exagerada, forçada e superficial. Sempre que me deparava com seu rosto e suas expressões conseguia acreditar de fato que ela havia perdido um ente querido, pois em seu olhar existia um vazio do tipo que nada, nem ninguém são capazes de preencher. 

4.  As alterações no roteiro, comparados ao livro, são muito bem pensadas e não alteram em nada a história original, além de contribuir bastante com uma possível, e almejada, continuação do drama neste formato.

5. Um dos únicos pontos negativos que encontrei na série foi a quantidade de episódios. Não só a quantidade, mas o tempo extenso dos mesmos. Algumas cenas poderiam ter sido mais breves, porém pareceram ser adicionadas com um único objetivo: tornar a série mais longa, conquistando a quantidade de 13 episódios para ser uma similaridade com o título da história. 

Ao todo, “Os 13 Porquês” é um drama de extrema importância para todos nós, e quando digo todos não excluo ninguém deste meio. A série tem um grande foco no público adolescente, até mesmo pelo fato de muitos dos assuntos abordados por trás da história de Hannah ser presentes e frequentes na vida de muitos jovens. Porém, os mesmos temas não ocorrem apenas com esse público, todos nós estamos aptos a sermos gravemente agredidos de variadas formas. 

Outro elemento que a série levanta do começo ao fim é como tais agressões podem interferir e mudar o rumo de nossas vidas. O que para um pode ser uma simples brincadeira ou algo grave, porém rapidamente esquecível, para outro pode ser algo capaz de fazê-lo tomar medidas extremas e sem retorno.

Identifiquei-me, chorei, senti a cada fita tudo o que a Hannah e milhares de outras pessoas sofrem. Inclusive já fui vítima de algumas das mesmas agressões que ela vivenciou. Porém, a mensagem que mais me marcou foi uma das últimas falas do Clay, onde ele diz que precisamos mudar isso, pois não dá para as pessoas continuarem tratando umas as outras desta forma; sem se importar com o modo como o outro pode está interpretando tudo à sua volta. 

Preciso fazer um breve comentário sobre algo que venho presenciando: Todos nós temos noção do peso que as redes sociais possuem, certo? Eu estou achando realmente muito incrível o uso destas ferramentas para expor hashtags, como por exemplo, #NaoSejaUmPorque, mas também espero que essas mesmas mobilizações virtuais não se limitem a apenas isso.  Espero que essas pessoas que no momento estão mexidas com os temas abordadas na série continuem assim e principalmente torne essa vontade de fazer a diferença de fato em algo real, pondo isso em prática. Como podemos fazer isso? A própria série nos dá inúmeras dicas, e também podemos nos aprofundar no assunto com a ajuda do nosso tão bem conhecido tio “Google”. Eu mesmo já fiz inúmeras buscas e descobri inúmeros grupos de apoios. Também descobri que alguns desses grupos possuem cursos onde podemos nos capacitar para sermos voluntários nos mesmos. (Pretendo fazer um post exclusivo sobre essas instituições de apoio à depressão, alcoolismo, suicídios e demais temas que são abordados em “Os 13 Porquês”). 

Enfim, acho que é melhor terminar por aqui, do contrário essa crítica nunca terá um ponto final. Recomendo que todos assistam a série, não posso dá uma confirmação exata se vai gostar ou não, mas ao menos tentem captar a mensagem presente nela. 

Confira ao trailer: 




Título: Os 13 Porquês (13 Reasons Why). 
Nacionalidade: Estados Unidos.
Ano: 2017.
Elenco: Dylan Minnette, Katherine Langford, Christian Navarro, Michael Sadler, Justin Prentice, Devin Druid,  Jillian Nordby, Miles Heizer
Gênero: Romance, drama, crítica social.
Duração: 13 episódios de aprox. 1h cada.
Roteiro e direção: 
Brian Yorkey, Diana Son, Thomas Higgins, Julia Bicknell, Nic Sheff, Elizabeth Benjamin, Kirk Moore, Hayley Tyler, Nathan Louis Jackson, Elizabeth Benjamin.
Avaliação: 4/5.

36 comentários

  1. Oi Renato, tudo bem?
    Eu descobri essa semana que tinham feito a adaptação do livro para a TV. Achei muito importante uma questão que você levantou: o que para mim não tem importância, para você pode ter. As pessoas precisam aprender a respeitar as outras. Acho esse livro e agora essa série um espaço para discutirmos assuntos graves que precisam mudar. Gostei muito da sua crítica, vou ver a série assim que puder.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Renato,
    Eu não consigo ver essa série em sequência. Eu choro e passo mal.
    Tive um caso na família e o assunto é bem delicado para mim.
    Não esperava essa força toda, mas ela veio e me deixou sem palavras.
    Uma série que merece ser assistida por todos.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Renato.
    Também acho que todo mundo deveria ler e/ou assistir a essa série. Acho que é uma boa forma das pessoas se conscientizarem a respeito dessas temáticas que estão presentes em nosso cotidiano.
    Ainda não tive a chance de conferir, mas já sei que vou me emocionar muito. É um gênero que me ensina muitas coisas, mas também me deixa bem triste.

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Renato.
    Vi muitas pessoas postando fotos sobre essa série.
    Pelo visto, está muito bem popularizada e por sua resenha entendo os motivos.
    Vou assistir logo porque esse assunto me interessa profundamente.
    Sua resenha ficou excelente, inclusive falando do ponto negativo de talvez a série se prolongar um pouco além da conta para ter 13 episódios.
    Abraço.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
  5. Olá, Renato.
    Eu não apreciei tanto o livro, mas acabei gostando bastante da série. E só espero que as pessoas não fiquem só na comoção enquanto a série está fresca na memória, que todos possamos mudar realmente de atitude.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Tenho ouvido falar tanto e tão bem dessa série que tenho que ver se arranjo tempo para a ver! :) Bom fim de semana.
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  7. Eu tô apaixonada por essa resenha! <3 Também fiz uma lá no meu blog, mas a sua ficou muito melhor hahaha sinto que você conseguiu expressar tudo o que sentiu assistindo a série, coisa que é realmente muito difícil pra mim quando a obra é positiva... parabéns, de verdade! <3

    Beijos,
    literarizandomomentos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Eu quase morri de chorar nessa serie. E o pior de tudo é que não consegui dormir depois, fiquei vagando pensando sobre UM MONTE DE COISA, meu deus do céu. Espero que no tenha uma segunda temporada porque senão vai acabar com a historia. O livro nao tem continuação, a serie tbm nao deveria ter e já começaram a falar numa segunda temporada e a Hanna poderia estar via tipo (?????) WHAT, nao nao nao nao. Nao pode. tÁ BOM DO JEITO QUE TÁ
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Renato,
    Nossa, tá todo mundo falando dessa série, eim?
    Como estou morrendo de vontade de conferir e fiquei com medo de pegar algum spoiler, li o post meio por cima.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oi Renato, tudo bom?
    Eu amei essa série, mas como estou passando por um problema "parecido" com uma amiga, acho que não consegui me doar totalmente para essa série, não sei explicar exatamente.
    Beijos,
    Paixão Literária

    ResponderExcluir
  11. Oi, Renato! Tudo bem? Eu já tinha lido esse texto, então fico até sem palavras novas para dizer. Mas enfim, volto a dizer que você fez com minha vontade de ver essa série aumentasse. De verdade.

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Renato! Que resenha maravilhosa e super completa, parabéns! Eu fiquei tão empolgada com a série que eu confesso que nem vi o tempo passar, quando percebi já estava terminando de tão viciada que fiquei. Eu não posso comparar com o livro pq eu não li, mas achei a série impactante! E espero pela segunda temporada!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  13. É o segundo post que leio sobre esse seriado hoje. Eu não sabia muito bem do que se tratava, mas sério eu gostei muito. E como são apenas 13 episódios acho que vou assistir, fiquei bastante interessada.

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Essa é uma série importante sim, que traz um tema que precisa ser debatido, discutido e visto de uma maneira aprofundada. Mas infelizmente é um perigo se visto por pessoas passando pelo mesmo que Hannah passou. Li alguns textos sobre isso e concordo que a série torna-se um gatilho para pessoas com depressão. Porém, é de extrema importância o quanto ela vem trazendo coisas boas também, como o aumento do número de buscas por ajuda relacionadas à depressão ou tentativas de suicídio.
    Gostei muito do seu post.

    Beijos
    https://monautrecote.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Eu gostei da série, apesar de ter retratados algumas coisas de forma perigosa e sem pensar nos possíveis espectadores. Mas apesar de toda boa repercussão da série, eu não aguento ver tanta hipocrisia nas redes sociais sobre o mesmo (no fim essas pessoas e grande maioria, tá nem aí para vocÊ e sei bem disso). Anyway, achei a série bem executada apesar das cenas que são gatilhos, é um perigo, apesar de real.

    bjs, Carol | Espilotríssimo
    www.carolespilotro.com

    ResponderExcluir
  16. Eu amei a série, é maravilhosa! Intensa e forte, mas maravilhosa e muito, muito necessária nos dias de hoje. Que show isso de ser voluntário em grupos de apoio, vou procurar mais sobre isso porque fiquei bem interessada. Adorei o post!
    Um beijão,
    Gabs | likegabs.blogspot.com ❥

    ResponderExcluir
  17. Série pertinente. Estou acompanhando as notícias e é incrível ver como essa série tem influenciado a vida real.
    Boa semana! Abraços!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  18. Renato
    Infelizmente não é meu estilo de filme ou série. Eu ia pirar apesar de ser uma dura realidade.
    Pode pegar a TAG de viagens e responder, amigo.
    Beijos e uma excelente semana!
    DMulheresInstagram

    ResponderExcluir
  19. Oi, Renato!
    Ainda bem que as alterações feitas só colaboraram e não apagaram a essência do livro. A história parece ter sido mantida coerente, como era esperado por você. Creio que alguém tenha mudado após assisti-la; digo, mudado para melhor. A série tem esse propósito de fazer pensar, colocar-se no lugar do outro.
    Fico feliz que a produção não tenha te decepcionado.
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Eu só ouço falar dessa série! Mas não faz o meu estilo.

    rasgadojeans.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Oi Renato,

    Estou começando a assistir a série e estou gostando bastante da trama.Apesar de não poder comparar com o livro, pois ainda não li ele.

    Bjs
    http://diarioelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Confesso que não é o tipo de série que eu gosto. Quando terminei de assistir, me senti pesada, triste. É densa e tensa! Mas mesmo fugindo e causando um impacto enorme, valeu assistir cada episódio. São assuntos de extrema importância e acredito que possa ajudar muita gente. Assim espero! =') E fica a lição, o que o Clay fala no final serve para todos, sem dúvida.

    Beijos, Carol
    www.pequenajornalista.com

    ResponderExcluir
  23. Tenho lido muito sobre a série, parece que tá todo mundo assistindo e comentando nos últimos tempos. Fiquei com vontade de ler o livro, parece ser ótimo também! Um beijo!

    ResponderExcluir
  24. Eu amei de mais essa serie e a mensagem que ela nos deixa, eu achei também super interessante essa mudança de tonalidade na hora em que a hannah ainda esta viva (que tem bastante saturação) e quando ela não esta (que tem pouca para mostrar que estão de luto, que estão tristes). Adorei saber que eles abriram uma aba para atores novos, isso é maravilhoso, sem contar que eles atuaram super bem!

    Um beijo grande e muito GORDO!
    thaissgalbiero.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  25. A cada resenha que leio sobre a série ou o livro eu fico me perguntando: Por que nao conhecia essa trama antes? Acho que a série tem mais pontos positivos do que negativos e fico feliz que esteja curtindo. Quer ler, mas antes quero ler o livro!
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  26. Excelente, completamente viciada. O mundo inteiro deveria ver esta serie. Há muito para apreender :)

    ResponderExcluir
  27. Eu estou assistindo a série.
    Só estou no começo (ep 3),
    mas tô gostando demais!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir
  28. Oi Renato.
    Virei fã da série, é sem explicação como essa série mexeu com meus sentimentos, como ela conseguiu transmitir tanta realidade. Sim também concordo que eles tentaram "esticar" para que a temporada tivesse 13 episódios, mas confesso que isso não me atrapalhou em nada. Hoje até não sei dizer se concordo ou não com uma continuação segunda temporada, mas com certeza irei assistir assim que sair rs.
    Beijos

    Divagando Palavras
    www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  29. Oie Renato. Estou feliz por ter lido essa postagem. Porque estou assistindo. E estou pensando seriamente em escrever uma crítica também no Acesso Permitido. Mas não tenho certeza se irei escrever. Porque muitos blogs já o fizeram nas últimas semanas, e não acho que as pessoas se interessariam em "mais um postagem". Mas o motivo de eu estar pensando é porque percebi que uns pontos falhos na série que gostaria de expor. Por exemplo. Concordo exatamente com o que disse sobre as atuações. A atuação do Dylan e da mãe da Hannah, são simplesmente fantásticas. IMPOSSÍVEL NEGAR ISSO. Perfeitas. Mas praticamente só os dois nos ganham no quesito atuação. O ator que faz o Alex, por exemplo, não conseguiu esconder sua homossexualidade em sua atuação. O que para um ator é algo sério a ser levado em consideração. Além disso, acho que a série falhou nas cenas em que a Hannah estava gravando a fitas. E outras coisas mais. Eu realmente gostei da sua resenha. Muito bem escrita. E também espero que toda essa repercussão sobre os temas abordados na série não se limitem à apenas comentários e se tornem atitudes. ♥ Parabéns!

    ACESSO PERMITIDO. ♥
    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
  30. Tenho visto muita gente falando sobre essa série, mas ainda não tive oportunidade de assistir e nem ler o livro, pela sinopse, me lembrou bastante um outro livro que li há alguns anos chamado A playlist de Hayden. Assim que puder, vou assistir.
    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  31. Oie Renato =)

    Hoje assisti ao episódio 9 e confesso que estou na bad =( Em cada episódio me pergunto como as pessoas podem ser tão cruéis? Ou como ninguém percebeu que ela precisava de ajuda? Os pais dela, os professores e os "amigos" de colégio.

    Porém, também não pude deixar de pensar que a Hannah pode ter sido o "porquê" de alguém (...).

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  32. Nossa eu tenho medo de ver essas séries, já tenho tendência de ter depressão se eu ver isso acho que me mato tbm kkkkkkkkkkkkkkkk
    mas parece ter muita qualidade !


    http://virtualparadisee.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  33. Oi Renato,
    Essa série me derrubou.
    Eu chorei tanto, não conseguia ver os episódios em sequência, me sentia bem abalada.
    Mas acho que hoje em dia não é qualquer coisa que impressiona os jovens. Tem GOT, TWD, sangue e mortes para todos os lados. Falar sobre sentimentos é algo necessário.
    Beijo
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Tudo que se passa nessa série é de uma certa forma muito diferente. A maneira como é contada,surge bastante teorias de que ela seja boa ou ruim! Eu confesso que não tomei frente e a terminei,tenho medo de meus sentimentos serem afetados,espero que não me venha ter nenhum constrangimento.
    Adorei a resenha!

    ♡♡♡♡♡
    Até logo.
    meu bloguinho

    ResponderExcluir
  35. Olá Renato,
    Essa série mexeu muito comigo, e eu me tornei um fã, estou com ela ansioso por uma segunda temporada, o trabalho, tudo que foi feito gerou opiniões e visões de muitos. Excelente série que merecia mesmo ser vista por todos.

    Mas... passo a primeira vez por aqui e achei tudo muito lindo. 🙂
    Meu nome é Everton e acabo de estar com meu blog aberto e com isso estou conhecendo novos e buscado companhias, por isso te convido a passar nele: https://rabiscoscolorido.blogspot.com.br/, espero que goste, estou no meu começo, contudo, será sempre bem vindo.

    Obrigado,
    Everton Silva

    ResponderExcluir
  36. E aí, Renato! Tudo bem?

    Há uns dois meses eu assisti essa série maravilhosa da Netflix. Sempre tive interesse em ler o livro antes, mas como não houve oportunidade e eu estava muito curiosa, tive que assistir!

    Confesso que estava com receio, não sabia se ia gostar. Mas, acabei me apaixonando! Os episódios, a história e o elenco mexem muito com suas emoções e fazem realmente você sentar, pausar e refletir. Pensar um pouco sobre todas suas atitudes, o que você anda fazendo da sua vida e principalmente: o quanto nós mesmos podemos estar colaborando para uma desgraça na vida do outro?

    Eu estou à espera da segunda temporada e torço para que seja tão boa quanto a primeira! O lançamento foi um grande sucesso e está servindo para muitas pessoas pararem para refletir e mudar suas atitudes. E isso é excelente! Deveríamos ter mais acesso a coisas que nos fazem mudar. Todos nós.

    Conheço seu blog há um tempo, mas estou voltando agora de novo e fico muito feliz de ver que você está cada vez melhor na sua escrita! Parabéns!

    Te convido a conhecer o meu blog e se gostar do conteúdo, deixar a sua opinião e vir fazer parte do nosso público para que possamos crescer!

    https://leticiaaamaral.blogspot.com.br/

    Beijos!

    ResponderExcluir