Sobre Pornografia Virtual

Fonte: Zoom/Tumblr. 

Hoje eu fui resolver o cancelamento do meu plano de saúde. Na ida e eu meu pai fomos em seu carro ouvindo músicas, o que tornou o momento muito bacana. Ao chegarmos no local e após a longa espera, finalmente fui atendido e conseguir o que de fato queria. Na volta, enfrentamos um breve congestionamento. Mas o que realmente me chocou não foram os motoristas querendo passar um em frente ao outro, mas sim o que estava passando na rádio. O radialista, junto aos psicólogos, religiosos e demais pessoas discutiam um assunto bem atual, eles falavam sobre a pornografia virtual.

A forma como o assunto foi abordado foi de fato genial, e me fez abrir os olhos sobre coisas que todos nós convivemos diariamente, seja com as redes sociais e até mesmo no mundo real. Quem nunca recebeu uma solicitação de amizade de um desconhecido, e o mesmo demonstrou te conhecer ou simplesmente está com segundas intenções? Talvez tenha recebido conteúdo pornográfico de um amigo ou até mesmo enviado. Sem deixar de mencionar aquelas olhadas e até mesmo palavras provocativas nas ruas, que normalmente costumam ocorrer com mais frequência com mulheres, infelizmente, mas há as exceções com homens. Essas e outras inúmeras questões foram abordadas e analisadas pelos participantes do programa, e a conclusão geral da discussão foi muito boa, entre elas foram citadas: ausência de afeto/amor próprio, total descontrole emocional e outros motivações. 

Fonte: O Dia/Site.

Após o término do programa, cheguei a uma conclusão, acredito que quando o ser humano busca por pornografia virtual, está querendo dar fim a um vazio dentro dele, independente se é na área sentimental, espiritual, sexual e demais. Mas não leva muito tempo para perceber que aquilo de algum modo não é certo, afinal, um dos resultados é o vício e nada que vicia é saudável. Acho que a pornografia pode ser comparada às drogas, pode parecer extrema essa minha comparação, mas basta dar uma pesquisada nos dados de quantos acessos diários existem em sites pornográficos, ou de boletins de ocorrências envolvente exposição e nudez. Enfim, é um assunto do qual devemos pesquisar e refletir. Tema do qual poderia passar horas e horas escrevendo, mas não é esse o foco da crônica, e sim contar um pouco sobre como reagi ao programa, alertar sobre o assunto e fazer com quê, vocês leitores deixem as redes sociais por alguns minutos de lado, e deem uma olhada em artigos sobre a Pornografia Virtual. 

11 comentários

  1. "...aredito que quando o ser humano busca por pornografia virtual, está querendo dá fim a um vazio dentro dele, independente se é na área sentimental, espiritual, sexual e demais."

    Concordo muito!
    Mas existe um amor capaz de preencher todas essas lacunas, esses vazios que podem existir. É só abrir o coração e receber esse amor!!


    Ótimo texto. Vc vai longe meu bem, amo vc! ❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! <3

      Se for dá vontade de Deus nós vamos sim. <3

      Excluir
  2. Oi Renato,
    Esse tema é realmente muito polêmico, não gosto dessa exposição, e concordo que assistir pornografia deva ser como um viciado que precisa para viver de alguma forma. É uma pena o amor real é tão bonito é muito mais prazeroso.
    Bjs❤
    Abrir Janela

    ResponderExcluir
  3. Fico feliz que esse assunto tenha sido abordado em uma mídia tão abrangente como o rádio.

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito do assunto abordado neste texto. E sim, acho totalmente certo comparar com drogas, afinal, existem pessoas viciadas em pornografia. Existem até pessoas que fazem tratamentos contra esse vício.

    http://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu posicionamento sobre a matéria na rádio, e eu também concordo sobre as pessoas estarem procurando um certo vazio, acho que é mesmo um assunto que deve ser discutido mais vezes, como muitos outros, mas que as pessoas não dão muita importância.

    ResponderExcluir
  6. Já namorei com uma pessoa que era literalmente viciada(isso foi em 2006) e segundo ele, ele chegava a ver espíritos e demônios de noite chamando ele. O que mais me matava nessa relação era o fato dele ter a pornografia como o mundo real e levar o mundo real como um mundo fantasioso. Ele simplesmente não sabia funcionar no mundo real, com suas falhas.Ele não sabia ligar com a palavra não e com expectativas frustradas. Ele passou a ver as pessoas como um meio para o fim e quando elas não serviam mais para aquele propósito, mais ele se "picava" com pornografia de novo. Por muito tempo achei que orando e jejuando pela vida dele ia resolver, mas vi que estava me tornando co-dependente do vício dele: ele indo pro buraco e eu indo com ele porque só fazia chorar, estava drenada, depressiva. Saí desse relacionamento e ele continuou nesse caminho. A maior mentira da pornografia é que ela diz que você pode ter intimidade sem sacríficio, sem pagar o preço. Que as mulheres(e homens) nesses filmes ou na mídia vivem absolutamente para fazer e satisfazer todas as vontades e desejos da pessoa. O pior dessa mentira é que a pessoa é que vive para satisfazer seus apetites desordenados e se torna escrava desse vício que a cada vez exige mais e promomete menos.
    Obrigada por falar nesse tema de maneira sensata.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Renato.
    Infelizmente hoje em dia temos que fugir de pornografia virtual. Dificilmente a gente consegue ficar ais de uma hora na internet sem que abra alguma coisa do tipo, sem a gente querer mesmo. Concordo com você que é como as drogas, depois que a pessoa entra nessa vida, é bem difícil de sair. E os pais tem que ficar atentos para que não aconteça com seus filhos.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  8. Oi
    interessante a postagem, sempre me deparo com esse tipo de postagem até no grupos de blogueiros no facebook que compartilham que até oculto a postagem, mas nem tem como fugir.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Renatu tudo bem?
    Para falar a verdade acho que nunca tinha parado pra pensar a fundo sobre esse assunto, lendo seu texto concordo plenamente, quando alguém procura esse tipo de "diversão" deve ser pra preencher o vazio. Ótima reflexão.

    Aline - Divagando Palavras

    ResponderExcluir